Biologia + Ciências Naturais

O caminho do “meio pra lá…”

Este post aqui me chamou a atenção. Embora eu seja contra essa ideia de dividir o mundo ao meio e as pessoas junto com ele, ultimamente tenho percebido o que ele diz na prática.

A ideia é a seguinte: O bom e velho Buda pregava o desapego das coisas materiais porque isso trazia infelicidade e etc. Já escrevi sobre isso antes e, agora que estou longe de casa, ter pouca coisa tem me ajudado muito. Neste meio tempo conheci algumas pessoas em uma situação semelhante à minha, mas com abordagem diferente: têm muitas coisas e não conseguem viver sem elas.

No post ele discute isso em uma nvoa abordagem. Segundo ele, algumas pessoas seriam aptas a levar uma vida de abnegação enquanto outras seriam mais moderadas. O que se discute por aí é que a total abnegação seria imprópria e difícil de seguir e etc. Aí entra a questão, algumas pessoas falham em serem moderadas, mas têm sucesso na abnegação, por que?

Ele exemplifica com o caso do doce. Usarei algo mais brasileiro: cachaça. Digamos que você seja um alcoólatra, qual é a melhor alternativa? Moderação (beber socialmente) ou Abstinência (virar motorista dos amigos). O AA prega a abstinência porque parte do princípio que o sujeito já deu mostras de que não é moderado e de certa forma concordo com isso. Beber com moderação exige um autocontrole respeitável devido às “circunstâncias diversas” que cercam a bebida como Aquela Festa, Álcool no Juízo e etc.

Alguns podem acreditar que a moderação é sempre a melhor opção, afinal “o melhor caminho é o do meio”, mas isso é relativo. Eu sou um chocólatra, é totalmente impossível para mim comer meia barra de chocolate amargo. Também sou um total glutão de sushi e um abstêmio de álcool. Assim como o autor do artigo, eu tenho problemas de autocontrole para alguns impulsos, então para mim a abstenção é a melhor alternativa nestes casos.

Da mesma forma, para um moderado a abstenção é algo absurdo. A pessoa pode até seguir por um tempo, mas depois acaba tendo aquela recaída que é típica de alguns alcoólatras. Para essas pessoas, a melhor alternativa é a moderação. Isso tudo é bastante curioso porque se aplica a dietas também. Pessoas moderadas para alimentação são mais propensas a seguir uma dieta de forma adequada do que as abstêmias enquanto as segundas podem adotar dietas mais restritivas, como as de diabéticos. O que geralmente acontece é que aqueles regimes absurdos que vemos nas bancas de revistas são viáveis para abstêmios, nos moderados vira efeito sanfona (e nos abstêmios vira anorexia, que fique bem claro isso!).

Então, se você está tendo problemas com o cartão de crédito, com chocolate e outras coisas que engordam ou empobrecem pense nisto. Talvez você não seja um viciado/impulsivo, pode ser só um problema de abordagem.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s