Reflexões

Trapos na Ilha: A história de um Estado

[…]
Em 1983, na Maternidade Marly Sarney, em São Luís, nasce um bebê de olhos esbugalhados, pernas tortas e com um cabeção. Os Pais ao receberem o menino tiveram que colocar um nome:
– Cauã?
– Janequine?
– Já sei amor. Vamos chamá-lo de Zé Ninguém.
– Perfeito!
Zé Ninguém cresceu no Bairro Vila Sarney, viveu nesse bairro até os 4 anos de idade, quando a família resolve mudar-se para a Vila Sarney filho. Chegando lá, não conseguem se adaptar, ruas esburacadas, lixo e esgoto a céu aberto e muita poluição sonora. A família resolve então mudar-se para a Vila Roseana Sarney, o Zé Ninguém vive parte de sua infância nessa vila e na Vila Kiola Sarney, conhece vários amigos, mais com o passar dos anos, tem seus amigos mortos por causa da violência do local.
[…]

Continuem lendo no Trapos na Ilha do meu amigo Emílio, é o triste retrato do Maranhão. Também recomendo o texto do Mauro Rabelo, desta vez sobre o Tiririca, notem, o problema não é só em um estado…

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s